17.6 C
Pontevedra
Mércores, 27 de Outubro de 2021
Máis
    HomeComarcasAlén da RaiaDireção-Geral das Autarquias Locais atribui Prémio Autárquico a Cerveira-Tomiño

    Direção-Geral das Autarquias Locais atribui Prémio Autárquico a Cerveira-Tomiño

    Apresentada pela Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, a boa prática “Cerveira-Tomiño: um espaço naturalmente comum e verdadeiramente europeu” venceu a categoria “Diferenciação, Inovação e Criatividade” do Prémio Autárquico «Aristides de Sousa Mendes e outros salvadores portugueses – Holocausto, Valores Universais, Humanismo e Justiça», atribuído pela Direção-Geral das Autarquias Locais (DGAL), sob coordenação do Governo de Portugal, através dos Ministérios dos Negócios Estrangeiros e da Modernização do Estado e da Administração Pública.

    O Prémio, integrado no «Projeto Nunca Esquecer – Programa Nacional em torno da Memória do Holocausto», é uma distinção honorífica e de natureza não pecuniária, entregue às autarquias que, por sua iniciativa ou em articulação com a sociedade civil, promovam práticas, programas ou projetos de elevado mérito e interesse público, em cinco categorias: «Coesão Social e Comunitária»; «Artes, Património e outros domínios Culturais»; «Modelar o Futuro sobre memórias e experiências vivas»; «Diferenciação, inovação, criatividade»; e «Fazer Acontecer».

    O caráter diferenciador e inovador da cooperação transfronteiriça Cerveira-Tomiño foi distinguido com o prémio na quarta categoria – Diferenciação, inovação, criatividade-, destacando-se a filosofia base assente nos conceitos de “desfronteirização” e de “eurocidadania participativa”, promovendo ações e atividades promotoras da integração de políticas de proteção dos recursos naturais, de desenvolvimento económico sustentável e de coesão social no espaço transfronteiriço do Minho-Miño, através da cooperação inteligente entre as administrações, os agentes públicos e privados e da participação pública.

    No processo de candidatura, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira apresentou o trabalho conjunto desenvolvido desde assinatura da Carta da Amizade, em 2014, e a constituição da Eurocidade Cerveira-Tomiño, em 2018, e que acolheu o reconhecimento da parte do júri afeto ao Prémio Autárquico, por se enquadrar na homenagem à coragem, ao humanismo e europeísmo do Cônsul Aristides Sousa Mendes, contribuindo para que a paz na Europa perdure e comportamentos/acontecimentos discriminatórios nunca mais se repitam. Sob a máxima de que a verdadeira essência da Europa e dos Europeus precisa de ser continuadamente trabalhada para ser cimentada, valorizada e nunca cair no esquecimento, a Eurocidade Cerveira-Tomiño apresenta-se como uma boa prática na convergência entre ambos os concelhos, preconizados num território comum, utilizando o fator fronteiriço como uma oportunidade para o desenvolvimento territorial e socioeconómico, com maior igualdade e melhor qualidade de vida, de acordo com as prioridades definidas no âmbito europeu.

    COLABORACIÓNS

    Desplazados en la sanidad

    La sanidad pública se mantiene como uno de esos pocos motivos de orgullo que le quedan al contribuyente. Nuestros impuestos mantienen un complejo entramado de centros sanitarios y profesionales que tejen una invisible red de seguridad a nuestro alrededor. Con independencia del motivo de consulta, el deseo de cualquier usuario es que la asistencia sea fluida, ágil y precisa. Necesitamos percibir que somos escuchados con atención y tratados con respeto, diligencia y empatía.

    Samuel Merino (Pompa e Boato), «Guantanamera (Poema nun só acto)»

    Primeiro poemario en galego de Samuel Merino, logo de dous textos en castelán («Enésima patada con amor» e «Trementina») que son dúas auténticas esgazaduras polas que esborrexe, pinga a pinga, a alma do autor. Naqueles primeiros versos, asinados baixo o pseudónimo de «Pompa e Boato», o poeta semella reconstruirse logo dun particular descenso aos seus propios infernos.

    Sentir común

    Allá por el año 2014, el lema de una gran compañía "gallega" se dejó sentir por nuestro pueblos y ciudades. Si os fijáis, lo he puesto entre comillas lo de gallega porque, de eso, lo único que tiene es el dinero de todos nosotros. Comencemos por el principio y no vamos a dar nombres porque la mayor parte de nuestros lectores ya saben o empiezan a intuir a lo que nos vamos a referir.

    Ácido y Caracola

    Todo comenzó hace muchos, muchos años, cuando Caracola aun vivía feliz, en el fondo del mar. De todas las princesas marinas que habitaban en las profundidades, ella era la más querida y la preferida de Océano, el Señor de todos los mares, y como tal, poseía todo aquello que pudiera desear

    Colaboradores

    Alberto Aliaga Sola
    13 POSTS0 COMMENTS
    Ángel Covelo
    6 POSTS0 COMMENTS
    Bea Sanfa
    5 POSTS0 COMMENTS
    Manrique Fernández
    47 POSTS0 COMMENTS
    Paz de la Peña
    35 POSTS0 COMMENTS
    Ricardo Canosa Bastos
    14 POSTS0 COMMENTS
    Roberto Mera
    2 POSTS0 COMMENTS