20.5 C
Pontevedra
Venres, 23 de Xullo de 2021
Máis
    HomeComarcasAlén da Raia‘Vila das Artes’ homenageia ‘o eterno mestre dos inquietos’ com Pintura Mural

    ‘Vila das Artes’ homenageia ‘o eterno mestre dos inquietos’ com Pintura Mural

    A mesma pessoa, em dois períodos de vida distintos. O Município de Vila Nova de Cerveira e a Zet Gallery inauguram, este sábado, uma pintura mural de homenagem ao artista Henrique Silva pela ligação umbilical à Bienal Internacional de Arte de Cerveira. Com esta obra da autoria de Juan Domingues, plasmada numa das fachadas do Cineteatro de Cerveira – Marreca Gonçalves, completa-se a trilogia de eternização dos fundadores da Bienal e do conceito de ‘Vila das Artes’, através da arte interventiva e interativa com a comunidade.

    À entrada da vila, num edifício histórico e junto ao rosto do Mestre José Rodrigues, surge um novo mural de 10m, com dois rostos do carismático artista Henrique Silva, na juventude e na atualidade. Em progresso desde o dia 10 de julho, e com inauguração agendada para este sábado, às 10h00, o artista plástico venezuelano, filho de emigrantes portugueses, inspirou-se no livro de Paula Alcântara Carreira, intitulado “Henrique – As múltiplas vidas de um homem só, uma biografia possível do pintor Henrique Silva”, para retratar o passado e o presente daquele que considera ser ‘o eterno mestre dos inquietos’, captando-lhe o olhar sincero e inquieto, e uma eterna incapacidade de resignação.

    Atualmente, com 88 anos de idade, Henrique Silva foi um dos impulsionadores das bienais de Cerveira, tendo sido diretor das Bienais de Cerveira entre 1995 e 2007. Em dezembro de 2013 foi nomeado vice-presidente da FBAC e coordenador cultural, tendo também assumido funções de diretor artístico da XVIII Bienal de Cerveira (2015). Com uma vida dedicada às artes, Henrique Silva tem um vasto e meritório percurso artístico espalhado pelo mundo, assim como na partilha de conhecimentos e experiências na área da educação ao nível superior.

    A presente pintura mural ‘Homenagem ao Eterno Mestre dos Inquietos’ integra um projeto inédito em Portugal, consubstanciado na maior rede de residências artísticas que abrange os 24 municípios representados pelas três Comunidades intermunicipais da região do Minho, numa estratégia concertada que se destina a reforçar a identidade cultural do Minho e, desta forma, a dinamizar o território do ponto de vista artístico e turístico. A candidatura lançada pelo consórcio Minho Inovação, sob a marca “Amar o Minho”, obteve o apoio do Norte 2020 e dos FEEI.

    De sublinhar que, com esta inauguração, o Município de Vila Nova de Cerveira completa a trilogia de homenagem aos três fundadores da Bienal de Cerveira em espaços públicos. O primeiro trabalho artístico remonta a 2016, com o artista brasileiro Elton Hipólito a evocar o mestre José Rodrigues num mural, com oito metros, intitulado de “Lacunas da Memória”, a ocupar uma fachada do Cineteatro de Cerveira; e desde 2017, a fachada principal da Casa do Artista exalta o pintor Jaime Isidoro com uma intervenção artística da autoria de Ana Torrie, onde surge o pintor, acompanhado do seu gato de estimação.

    COLABORACIÓNS

    Clafoutis, un postre clásico francés a base de cerezas

    Os presento uno de los postres más conocidos de la repostería francesa, el Clafoutis. Un postre sencillo, con una elaboración y una combinación de ingredientes que le dan una textura y sabor exquisitos. La combinación de almendra y cereza veréis que es realmente deliciosa.

    Tranquila, solo va a nacer tu hijo

    La tecnología nos permite realizar cosas impensables hace unos años. Los avances en disciplinas emergentes (robótica, bioinformática, telecomunicaciones…) hacen nuestra vida más fácil a costa de que dejemos de pensar, trabajar, relacionarnos y esforzarnos física y mentalmente.

    Aposta polo teatro

    A editorial Galaxia vén de inaugurar unha nova colección á que non podemos máis que darlle a benvida, pois vai estar centrada no teatro galego contemporáneo. A pesar de todo o talento que este país manifesta a diario neste eido, en distintos estilos e nos seus máis variados aspectos, o certo é que a publicación de pezas teatrais era ata o de agora tan escasa que case podiamos considerala unha rareza.

    Colaboradores

    Alberto Aliaga Sola
    8 POSTS0 COMMENTS
    Ángel Covelo
    6 POSTS0 COMMENTS
    Bea Sanfa
    2 POSTS0 COMMENTS
    Manrique Fernández
    42 POSTS0 COMMENTS
    Paz de la Peña
    34 POSTS0 COMMENTS
    Ricardo Canosa Bastos
    1 POSTS0 COMMENTS
    Roberto Mera
    2 POSTS0 COMMENTS